r.izze.nhas

Resenhas e aleatoriedades literárias.

Menu Close

Uma Crença Silenciosa em Anjos, de R. J. Ellory

elloryEram 10 garotas, entre 7 e 12 anos de idade. Todas eram lindas, meigas, boas filhas. Todas foram violentadas, assassinadas, esquartejadas e largadas por aí, para serem encontradas por qualquer pessoa. Joseph Calvin Vaughan, de 12 anos, colega de algumas delas, se sente misteriosamente ligado a todas. Se sente responsável pelas meninas, tendo que protegê-las do monstro que as machuca. Talvez seja porque os crimes começaram logo depois que seu pai morreu, talvez não. Augusta Falls, Geórgia, Estados Unidos, 1939. Onde tudo começou. E nos anos seguintes os crimes se estendem para outras localidades. Durante 30 anos, meninas sofreram, e Joseph sofreu junto. E isso durou por toda a sua vida.

Uma Crença Silenciosa em Anjos, de R. J. Ellory conta toda a trajetória de Joseph Vaughan. Seus sonhos, crenças, amores, tudo ligado a essas meninas. Joseph sempre se mostrou diferente dos outros garotos desse pequeno condado na Geórgia. Era sonhador, queria se tornar um escritor, e contou com total apoio de sua professora, mãe e amigos para que assim fosse. Infelizmente, depois que seu pai se foi, nada deu certo para ele. Tudo o que ele construía desmoronava, como a vida dessas meninas.

Não é a toa que Ellory fez desse livro um best-seller. Tudo começa com a voz de Joseph no presente, contando o que está acontecendo com ele, divagando sobre seus sentimentos acerca desses assassinatos. Assim, ele começa a narrar sua vida a partir do momento em que seu pai morre, afim de justificar o relato inicial. Ellory mantém na narração qualidades que são atribuídas a pouca idade de Joseph. Vivencia-se um crescimento na escrita conforme o próprio personagem cresce. De um garoto que está começando a aprender sobre a vida e que repete o que vê e ouve para apresentar seus pensamentos, ao adulto de fala e escrita rebuscada, que sabe se articular de forma original e única.

r.jEntre os capítulos que contém essas memórias de Vaughan, Ellory insere mais relatos do presente, com os pensamentos de Joseph sobre a sua história. Ele indica sutilmente qual foi a conseqüência dos seus infortúnios, criando no leitor constante curiosidade, fazendo-o querer desvendar qual é o mistério que envolve a personagem.

De início, senti falta de descrições físicas dos lugares e das pessoas presentes na obra. Tive dificuldade em transformar as palavras em imagens. Há descrições, mas são poucas. Presentes somente quando são relevantes, mas não são esclarecedoras. Porém, depois que a história vai avançando e se mostrando cada vez mais interessante, isso passa a ser ignorado. A proposta do livro não é criar um filme na cabeça do leitor, mas envolvê-los nos sentimentos de Joseph. E Ellory cumpriu muito bem essa tarefa.

Uma Crença Silenciosa em Anjos é tocante, envolvente, triste e frustrante. Ellory, que passou sua infância em internatos depois da perda de seus pais e avós, atingiu seu objetivo. Mostrar a força que o ser humano pode ter para superar todas as suas tragédias, por maiores que sejam, e continuar vivendo com suas lembranças. Joseph Calvin Vaughan é um dos personagens mais cativantes que já vi na literatura, e suas tristezas constantes não são só meros sentimentos de um jovem cheio de problemas, mas se transferem do livro para o leitor.