irisbahrAos 20 anos de idade, depois de ser dispensada do exército, a americana descendente de israelenses Iris Bahr resolveu fazer uma viagem. Assim como muitos colegas do exército, se tornou mochileira, e fez um tour pela Ásia. Até aí normal, muitos saem só de mochila nas costas e caem no mundo para conhecer o maior número de lugares e culturas possíveis. Mas Iris tem uma missão: perder sua virgindade. Como diz o subtítulo do livro, Iris está em busca de sexo. E como diz o título, ela é uma pseudovirgem.

Isso significa que sim, ela já transou uma vez, ou pelo menos tentou. A incompatibilidade do tamanho de órgãos fez com que o primeiro ato de Iris não fosse consumado. Então ficou uma espécie de trauma na cabeça da garota. Todas as suas colegas no exército faziam longos discursos de suas experiências, e Iris ficava chupando o dedo. Quer dizer, usando o dedo…

O livro faz jus à carreira humorística da autora, que tem um show de comédia solo em Nova York. Iris é frustrada tanto no sexo quanto nas viagens, que se mostram mais como problemas do que diversão. Contudo, a obsessão dela em perder a virgindade se torna enjoativa até certo momento. Por mais engraçadas que as situações sejam, não achei-as interessantes o bastante pra continuar lendo.

82204766FB054_PREMIERE_OF_WMas não é só de sexo que o livro trata. Conforme vai se habituando à vida de mochileira e às estranhezas que encontra pelos países que passa, Iris vê que nem tudo gira em torno de uma vida sexual saudável. Ela começa a dar mais atenção aos diferentes modos de vida que encontra no caminho, construindo laços de amizades com nativos e outros mochileiros. A partir daí, Iris pensa mais no que sua vida foi, é, e o que ela espera que seja. Quando o foco sai do sexo pela primeira vez, a história fica mais interessante. E até suas recaídas à busca carnal ficam mais engraçadas.

A linguagem da narrativa é simples e direta, sem parecer vulgar. Afinal, é uma jovem de 20 anos narrando, não se deve esperar uma linguagem extremamente rebuscada. Isso torna a narração mais pessoal, com a cara da autora. As Aventuras de Uma Pseudovirgem é um livro divertido e fácil de ler, e uma boa recomendação para amigos desesperados como Iris. Ele mostra que, uma hora ou outra, você consegue o que quer sem precisar se descabelar.