Solidão e abandono estão presentes em muitos aspectos da vida. No amor, na amizade, nas relações familiares e profissionais. São sentidos por humanos, animais, destino de objetos descartados. A melancolia que envolve esse sentimento e essa ação é explorada pelo médico gaúcho J. H. Bragatti eu sua estreia literária com o livro Ponto Final, uma reunião de seus contos que buscam especificamente trazer à tona personagens que vivem esse sofrimento. Os textos curtos e bem escritos publicados pela editora Dublinense trazem diferentes situações e pessoas que querem sair desse estado triste que a solidão sugere.

A experiência como médico certamente influiu em alguns textos de Bragatti, em que os males da saúde são o prenúncio de um fim solitário. Como nos contos Ponto Final – o que dá nome ao livro e também o encerra –, O Gladiador, Areia na AmpulhetaA Gravata, sendo esses dois últimos protagonizados por médicos. Outros textos também se inclinam para os personagens da área da saúde, geralmente falando deles em um começo de carreira, confrontando-os com o abandono de seus “pacientes”, como é o caso de Arrepio e, novamente, de A Gravata.

A terceira idade não poderia deixar de ser tema de alguns contos do livro, afinal, muitos idosos sofrem com o abandono de famílias que deles não podem mais cuidar – ou não querem. O texto mais emocionante é A Melhor Idade, narrando o momento em que o filho leva seu pai a um asilo depois da morte de sua esposa, prometendo que o tiraria de lugar tão relaxado e melancólico assim que pudesse. Alguns textos até anunciam o reencontro com o amor e companheirismo, como em Reencontro. O contoLágrimas também traz o idoso como personagem, mas dessa vez sugerindo até um pouco de alívio ao confrontá-lo com uma antiga paisagem de sua difícil infância.

Em alguns textos, Bragatti não apresenta um desfecho para a história, deixando a cargo da imaginação do leitor supor o que acontece. É o caso do conto que abre o livro, Epílogo. Outros já trabalham com o fator surpresa, em narrativas que levam o leitor a conclusões precipitadas, mudando todo o cenário do texto ao revelar algum ponto que ocultava a natureza da personagem, como em Coronel Valente eReverberação. O autor revela uma preocupação em escolher bem as palavras de seus textos, trabalhando na fluidez das frases que tornam a leitura prazerosa, apresar da forte carga melancólica do livro.

Ponto Final ainda apresenta muitas situações e personagens que, nas suas histórias solitárias, tem muito a revelar sobre a vida e amores como um todo. Os contos de Bragatti se mostram uma leitura fácil, sem barreiras na compreensão dos textos, e por isso caracterizam uma narrativa rápida e com conteúdo que penetra na mente do leitor.