Gay Talese é um nome de peso no jornalismo. Não existe estudante algum que não tenha ouvido falar do grande adepto do New Journalism, seja em recomendações de leitura ou elogios de professores falando de um ótimo exemplo a seguir. E quando um livro de Talese ou qualquer artigo seu cai nas mãos do leitor, ele deve ser lido. Quando Honra Teu Pai foi relançado há algumas semanas pela Companhia das Letras, havia chegado a minha hora de finalmente ler Gay Talese. Não só pelo grande histórico de  recomendações de leitura, mas pelo próprio tema que me chamou a atenção: o primeiro relato de não-ficção da vida da Máfia nos EUA. A história de ascendência e queda de uma família enraizada na Máfia.

Honra Teu Pai, originalmente publicado em 1971, segue os passos de Salvatore (Bill) Bonanno, filho de um dos maiores chefes da Máfia de Nova York, Joseph (Joe Bananas) Bonanno. Joseph, filho de um imigrante italiano de Castellamare del Golfo, na Sicília, desde jovem esteve envolvido com ações da Máfia, e depois da morte dos pais, em Nova York, voltou à cidade natal e logo teve de retornar aos EUA fugindo da pressão que Mussolini para erradicar os grupos criminosos da Itália. E aos poucos foi galgando os degraus da Máfia de Nova York até chegar à chefia da sua própria família. Seu filho, Bill Bonanno, um jovem com educação privilegiada, acabou seguindo a “carreira do pai”.

Essa adoção de modo de vida não foi imposta ao jovem Bill. Talese mostra bem como a figura de Joseph Bonanno exercia uma atração e admiração profunda em Bill. Forte e resoluto, Joseph sempre impôs respeito, com uma personalidade carinhosa, mas que não permitia contrariações e desobediência. Prezava a honra e os bons modos acima de tudo, e se vivia de forma ilícita, era assim apenas para os olhos do governo norte-americano. O que importava eram as leis da Máfia, e eram elas que regiam a sua vida. Talese aqui explica como essa visão de “não estar fazendo nada de errado” funcionava para pai e filho Bonanno. Se o próprio governo moldava suas leis para favorecê-lo, então porque não criar e seguir suas próprias leis? Talese também aponta que, na visão dos mafiosos, eles ofereciam uma forma “segura” para o povo burlar pequenas leis, como um serviço prestado à população que saciava a necessidade de se aventurar pelo crime.

Partindo dos anos 1960, quando se deu o sequestro de Joseph Bonanno que o deixou fora de circulação por 19 meses, período em que Bill entrou de cabeça na Máfia, Gay Talese intercala o texto com o passado dos Bonanno. Ele explica as principais atividades que mantinham a Máfia na ativa depois da Lei Seca dos EUA, constantemente citando outros grandes nomes do crime organizado. Nesse período, os mafiosos viviam da loteria clandestina e agiotagem, praticando outros atos ilícitos considerados menores, como o tráfico de drogas, mas esse rejeitado pela família Bonanno. Dividido em quatro partes, Honra Teu Paisepara a narrativa conforme os períodos pelos quais Talese conviveu com os Bonanno, do sequestro à volta de Joseph, a Guerra dos Bananas, que mergulhou Nova York em assassinatos de membros da Máfia, até à condenação de Bill Bonanno por fraude no uso de um cartão de crédito. Todas essas partes contém detalhes das atividades mafiosas e também da convivência da família Bonanno com o crime.

Bill era casado e tinha quatro filhos: Charles, adotado, Joseph, Salvatore e Filippa – para quem Talese dedicou o livro. Grande parte do relato se concentra em como Rosalie, sua esposa, e seus filhos lidavam com as atividades de Bill. Se Bill sentia pelo pai uma mistura de medo e admiração, o que fazia com que ele não desrespeitasse suas ordens, Rosalie estava constantemente apreensiva e irritada com as atividades de seu marido. Vinda também de uma família ligada com a Máfia, Rosalie era mantida à distância de seus assuntos, e assim que se casou com Bill, tudo o que queria era uma vida normal para ela e seus filhos, o que lhe foi negado. O próprio Bill não sabia como explicar à eles o que realmente fazia, e Talese narra como as crianças conviviam normalmente com membros da Máfia sem ter ideia do que eles realmente eram. Por isso, Bill se sentia confuso entre contar ou não a seus filhos o que era a Máfia e como ela funcionava, com medo de que eles perdessem o respeito por ele e que o taxassem como criminoso, tratamento que o governo e a imprensa lhe davam.

Honra Teu Pai é um relato emocionante dessa vida, que traz uma visão de dentro da Máfia e faz o leitor simpatizar com suas personagens. Mesmo com o conhecimento de que os Bonanno cometeram diversos crimes, sendo inclusive mandantes de assassinatos, é impossível não se solidarizar com eles, com os problemas que tinham dentro da própria família e, nesse caso, enxergá-los como inocentes, pessoas vitimadas pelo meio em que viviam. Honra, respeito, tradição e amor são as palavras que resumem o que os mantinham fiéis às próprias leis, sendo elas contrárias às que regiam todo o país. Gay Talese fez um trabalho primoroso ao entrar para esse ambiente e relatar detalhadamente esse modo de vida. O leitor não percebe em momento algum a presença do autor nas cenas que narra, e toma conhecimento apenas no final de que ele esteve presente em muitas dessas passagens, prova do cuidado com que o livro foi escrito.

O nome Bonanno é tão fortemente ligado à Máfia que afetou as pessoas que nem dela faziam parte. EHonra Teu Pai meio que livra os membros dessa família da imagem de horror que a imprensa norte-americana pintava dos Bonanno. Emocionante e intenso, o livro trouxe uma nova abordagem, com menos armas e sangue e mais reflexão sobre as atividades mafiosas e o que elas representavam na vida daqueles que involuntariamente estavam ligados à ela. Um grande relato jornalístico que todo e qualquer profissional da área deve ler, recheado de detalhes que enriquecem o texto e fazem dele um trabalho inigualável. E um livro para qualquer interessado na Máfia, para entender melhor como ela agia e como afetou várias gerações de uma família.