meu-coracao-de-pedra-pomesLawanda tem 19 anos de idade, um emprego de faxineira num hospital, uma coleção de besouros e uma deficiência mental. Que deficiência é essa não sabemos ao certo, mas em um momento específico ela se diz “meio autista”. O que importa é que ela é capaz de limpar cada centímetro do hospital no turno da noite, que inicia às 18h todos os dias. Quando não está lá, está em seu quartinho alugado e pago pela tia religiosa. Nesse quarto ela tem uma “cama de meteorito”, uma poltrona e um armário, onde guarda nas gavetas suas caixas de besouros gordinhos e rabugentos e uma coleção de macumbas feitas com suas calcinhas, que possui borboletas mortas costuradas nelas com inúmeros desejos. É essa, em resumo, a sua vida.

Leia a resenha completa no Amálgama.