Em tempos de adoção de novas formas de leitura, esperamos que muitos livros de papel virem e-books. A digitalização dos livros vem de longe, mas só agora podemos desfrutar mais dessas versões digitais do velho conteúdo de papel. Contudo, ainda estou meio relutante em adotar essa nova forma de leitura – mas nada contra os e-books. Ainda tenho uma espécie de conexão com os livros de papel que não me permite trocá-los por suas versões eletrônicas, por mais baratas e cômodas que elas sejam. Tocar o livro, folhá-lo de traz para frente, de frente pra traz, pular páginas, ouvir o ruído que as folhas fazem aos serem viradas, isso tudo ainda é muito caro para a minha experiência de leitura. E é uma coisa que se confirmou ao ler – ou melhor, olhar – o livro Paris versus New York, do deisigner Vahram Muratyan.

Muitos já devem saber do que se trata Paris versus New York, pois antes do livro ser publicado ele era um criativo e curioso blog. As imagens que contrastam as características da capital francesa com a Big Apple foram compartilhadas por muitos dos meus amigos, e quando eu conheci o blog tratei de olhar ele inteirinho de uma vez só. O conteúdo do livro não traz lá muitas novidades – há algumas imagens que não havia visto antes, não tenho certeza agora se são inéditas para o livro ou se eu mesma deixei elas passarem batido no site. Porém, ter essas imagens impressas, em uma edição caprichada que eu posso manusear do jeito que eu quiser é muito mais legal do que ficar baixando a rolagem e avançando as páginas do blog. Meu olhar sobre as ilustrações foi muito mais atento no livro do que no site.