Leitura da Semana: Na África Selvagem

Estou eu aqui me preparando psicológicamente para fazer duas resenhas, mais um texto sobre a FLIP aqui para o blog, e mais revisões para o Ambrosia. Mas antes disso, melhor fazer o Leitura da Semana de uma vez. Pois então, o livro no título é Na África Selvagem, um relato real sobre a vida de Joan Root escrito por Mark Seal, lançado agora pela Zahar. Mas tenho que falar também de Haroun e o Mar de Histórias, de Salman Rushdie, que terminei de ler hoje.

Então vamos falar sobre esse primeiro. Para não dizer que dos autores presentes na FLIP só li Isabel Allende, comecei no sábado a ler Haroun e o Mar de Histórias, na edição de bolso da Companhia das Letras. Rushdie era uma das grandes presenças do evento, e pude vê-lo de perto em dois momentos: no bate-papo com Fernando Henrique Cardoso sobre O Príncipe, organizado pela editora (valeu, Diana!), e passando do meu lado na pousada onde acontecia as coletivas, indo para a piscina. Infelizmente não pude ver a mesa dele, estava muito cansada e na hora acabei voltando pra casa onde estava hospedada para mais tarde voltar pras “baladas” da FLIP.

Para quem não sabe, esse é o livro que Rushdie escreveu inspirando-se no filho mais velho. Conta a história de Haroun, um garoto filho de um contador de histórias que vive em uma cidade triste. Depois de serem abandonados pela mãe, seu pai perde a capacidade de contar histórias, e o menino cai em uma grande aventura para tentar recuperar as histórias para seu pai. Uma fantasia encantadora, tenho que dizer, que me fez ler o livro com vontade mesmo. A resenha sai ainda essa semana.

Na África Selvagem conta o caso do assassinato da ambientalista Joan Root, famosa pelo documentário sobre a fauna africana que fez com seu marido. Ao investigar sua morte, o jornalista Mark Seal conheceu toda sua história, contada nessa biografia. Ainda nem consegui ler a orelha desse livro! Mas escolhi resenhá-lo para o Amálgama justamente por falar de um caso real e, ao que tudo indica, emocionante.

Prometo que amanhã posto um texto com apontamentos gerais sobre a FLIP, que eu amei e espero poder voltar no ano que vem. Agora vou ali fazer as resenhas e voltar pro meu Baconzitos, a janta de hoje. Até e boas leituras!