Leitura da Semana: A Mulher Sem Palavras

Fui na Feira do Livro de novo! Voltamos no sábado, eu e meu namorado, para passear um pouco mais. Fomos no Santander Cultural, conversamos muito com a Lu Thomé e prestigiamos a sessão de autógrafo de Crime na Feira do Livro, do Tailor Diniz, que bombou. Saí de lá com Gênesis, de Robert Crumb, e A Questão dos Livros, de Robert Darnton, ambos presentes na FLIP desse ano. Impossível resistir aos descontos. Embora estou morrendo de vontade de começar o livro do Darnton, a leitura dessa semana é A Mulher Sem Palavras, de Marcelo Barbão, publicado pela editora Vieira & Lent. Esse á para o Amálgama.

O Daniel (big boss do Amálgama) ofereceu o livro porque ele estava sem tempo para ler, e achei a história bem interessante. O livro se passa nos anos 1970, e é narrado por uma mulher que quer esquecer o seu passado. A mulher, sem fala e sem nome, foge do seu país e vai para o Nepal. Ela não sabe exatamente como chegou lá e nem o que irá fazer. Ambientado na paisagem fria do Himalaia, A Mulher Sem Palavras tem, até a metade que eu li, poucos diálogos e envolve os pensamentos da protagonista, o que ela vive nesse novo lugar  passando pelas mais diversas experiências e suas lembranças da infância e juventude de menina rica dos Estados Unidos.

Embora tenha achado o livro meio difícil no início, estou muito mais envolvida na leitura agora. Não é que ele é escrito de forma complicada, na verdade é bem simples, mas o próprio tema do livro acabou pesando. É só uma questão de tempo se acostumar com a forma de narrar da protagonista, ora em primeira pessoa, ora em terceira, falando com ela mesma.

Como só nessa semana saiu a resenha de Jogos Vorazes, deve levar um tempinho até o texto desse livro ser publicado no Amálgama. Mas aviso aqui, como sempre. Boa semana e não leiam com moderação!

 

Ps.: Acabaram de divulgar. Crime na Feira do Livro é finalista do Açorianos de Literatura. Parabéns, Tailor!!!! o/ (bracinho pra cima pra comemorar!)