Melhores leituras do ano do r.izze.nhas!

Não tem como escapar das retrospectivas quando o fim do ano se aproxima. Reavaliamos tudo o que fizemos durante o ano, lembramos das conquistas e eventuais derrotas, atribuímos notas e qualidades pelos 12 últimos meses que vivemos. Como leitora, não poderia deixar de rever tudo o que li em 2010 e fazer aquela listinha dos melhores. Foram muitos livros lidos (mais de 80), um recorde não planejado, e muitas coisas novas entraram para a lista.  Por isso, resolvi colocar aqui os cinco livros que li e mais gostei esse ano.

Fazendo uma comparação com os anos anteriores, vi que nunca li tanta literatura nacional, principalmente contos, e posso dizer que tive boas surpresas nas novidades que peguei. Fiquei menos preconceituosa quanto a alguns livros, mas também tive que engolir algumas páginas de pura desgraça literária. Mas as boas leituras sempre prevalecem, e posso dizer que o número de coisas boas que li foram bem superiores às ruins. Fico feliz em ver que, dos cinco livros que escolhi como melhores, três são de autores brasileiros. E isso vindo de alguém que virava a cara para qualquer livro nacional que via é uma boa evolução. Então vamos logo a essa lista!

Aconteceu em Blackrock

Livro do irlandês Kevin Powell, publicado pela Rocco, Aconteceu em Blackrock é uma história que todo adolescente nos seus 15 anos de idade deveria ler. E que nenhum adulto deveria ignorar também. Ele conta o drama de três jovens acusados por assassinar um ex-colega de escola. O que era mais uma habitual briga de bar acabou em tragédia. Um narrador próximo dos envolvidos faz todo o relato do caso, traça perfis completos dos principais personagens, fazendo um retrato da juventude atual de Dublin, de seus anseios comunistas e da vontade de viver como se não tivessem responsabilidades. É um livro emocionante e bem construído, que procura dar uma explicação sobre como jovens prodigiosos acabam com suas vidas em uma noite de festa.

O Palácio de Inverno

John Boyne, autor do conhecido O Menino do Pijama Listrado, montou um romance emocionante e rico em O Palácio de Inverno, da Companhia das Letras. Seu protagonista é Geórgi, um velho imigrante russo vivendo em Londres, que está prestes a perder sua mulher para o câncer. Fechado e duro, ele relembra sua juventude passada na Rússia, seus tempos de serviço ao último czar, Alexandre Romanov. Alternando os capítulos entre sua vida na Rússia e na Inglaterra, vemos como ele se estabeleceu em solo estrangeiro, a formação de sua família, e de como esteve perto dos conflitos que se abateram sobre a família real russa, trazendo ele cada vez mais perto da do czar. Coloco ele entre os melhores livros pela forma que Boyne construiu o livro, levando aos poucos o leitor para diversos momentos da vida do protagonista até surpreendê-lo no final com a revelação de todos os segredos presentes na trama. Um livro certamente emocionante, e que abriu meu interesse pela história dos Romanov.

Uma Leve Simetria

Primeiro livro nacional dessa lista, Uma Leve Simetria é um romance publicado pela Não Editora, escrito por Rafael Bán Jacobsen. Nele o leitor presencia o nascimento e desenrolar de um romance entre dois amigos adolescentes que vivem em uma comunidade judaica. Daniel, de 13 anos de idade e órfão, é fiel aos ensinamentos judaicos, freqüenta todos os cultos e é um exemplo de garoto dedicado e comportado. Mas sua fé religiosa é confrontada pelo desejo e amor que sente por Pedro, colega de escola com quem mantém uma grande amizade. Jacobsen criou um romance lindo e sensível, contando paralelo à história de Daniel a de Davi e Jonatã, fazendo seu protagonista passar por desafios semelhantes a dos personagens bíblicos. Narrado por Daniel, o leitor encontra uma declaração de um amor forte, indestrutível, que desafia o que a religião diz e, ao mesmo tempo que conforta, amedronta as personagens.

Azar do Personagem

Coloquei o livro de Reginaldo Pujol Filho, pela Não Editora, nessa lista justamente por conta da forma que ele usou suas personagens. Reunião de contos do autor, Azar do Personagem, poderia até ser um romance. Cada conto traz uma situação diferente com personagens diferentes, mas que no final se reúnem em um conto só e se voltam contra o seu autor. Pujol dá vida a sua criação, literalmente falando, ao inserir ele mesmo como ponto de discussão dos contos, por fazer suas personagens quererem dar um final diferente a suas próprias histórias. Se libertarem das mãos do escritor. Com um humor inteligente, Azar do Personagem foi uma das leituras mais divertidas que tive esse ano.

Havana

Essa era um livro pela qual eu não daria muitas notas, mas acabou entrando na lista também. Nada como conhecer um país, uma cultura diferente, indo até ele. Mas quem não pode, resta apenas ler sobre. O jornalista Airton Ortiz deu ao leitor um belo material sobre a cultura de Cuba em Havana, publicado pela editora Record. Viajando a capital cubana, ele relata em contos cada momento que viveu lá. É diferente dos livros reportagens que o autor costuma publicar. São relatos descontraídos e ricos de informação em linguagem simples e atraente, que de pouco a pouco vai criando todo o cenário que envolve Havana. O livro vai além do relato turístico, pois Ortiz procurou viver junto do próprio cidadão cubano, conhecer seus problemas e alegrias, e também presenteia o leitor com passagens históricas que envolvem os lugares que visita e conversas que tem com as pessoas de lá. Um ótimo livro para quem gosta de ler sobre histórias de viagens.

2010 foi um ano ótimo para mim, não só em leituras. O trabalho foi tranqüilo e tenho colegas incríveis, tenho minha própria casa, fiz cursos ótimos, conheci muito mais coisas sobre livros, literatura e mercado editorial, viajei… E, antes de mais nada, conheci pessoas maravilhosas que só estão acrescentando mais na minha vida, tanto como pessoa quanto como leitora. Espero que ano que vem seja ainda melhor que esse ano – ih, vai ser difícil superar –, e que não seja só para mim, mas para todos vocês.

O r.izze.nhas agora sai de férias. Vou lá para Santa Catarina passar o final do ano com meus pais, visitar os parentes e todas essas coisas, mas na primeira semana de janeiro já estou de volta com mais resenhas. Um ótimo Natal e final de ano para todos que acompanharam o blog, e muito obrigada por lerem, comentarem, darem pitacos e aparecer aqui no r.izze.nhas.

Ps.: Os feeds do blog não estão funcionando, arrumo quando voltar das férias.