Leitura da Semana: Unhas

Terminei ontem Vergonha, de Salman Rushdie, lendo rápido porque a resenha tem que sair amanhã. Livro ótimo, para variar. E logo depois de terminar já comecei Unhas, romance policial de Paulo Wainberg (disseram que ele lê o blog, oi!!) publicado ano passado pela Leya. Li pouquinho ainda, nem no trem consegui avançar muito porque o sono atacou forte hoje de manhã, mas é um livro que parece ser rápido de ler por conta dos capítulos curtíssimos e da forma com que Wainberg está contando essa história, pelo menos agora no comecinho.

Mas que história, cara pálida? Pode-se chamar o protagonista de Unhas de assassino de aluguel. Alguém que descobriu na morte a sua maior diversão. E não é qualquer pessoa que ele mata: só aqueles que atormentam de amor os seus clientes. Ou melhor, aquelas, já que não tem nenhuma cliente mulher por considerar que elas são capazes de fazer seu amor sofrer por conta própria. O romance já começa “tenso”, com uma vítima adolescente presa à uma cadeira, confusa sobre o que está acontecendo, ouvindo o seu sequestrador falar e falar sem entender nada. E paralelo à isso, o assassino, cujo apelido é Unhas, divaga sobre pés, fetiches e o que o levou a entrar para o ramo do crime.

Nessas poucas 50 páginas que li até agora não tenho muitas pistas de se o livro é bom/ruim ou divertido/tenso. O que posso dizer até agora é que quem começa a ler fica bem curioso sobre como essa história toda surgiu e o que Unhas realmente faz (e como faz, já que não vi ninguém morrer ainda). E adorei a capa feita pela Retina 78, dá uma aflição essa tesourinha tão perto do pé!

Ah, e segunda-feira voltei a ler Madame Bovary, vamos ver se sigo na leitura e termino o livro no mês que vem. Pelo menos lembro do que aconteceu nas páginas que já tinha lido.

A resenha de Unhas sai na semana que vem lá no Meia Palavraque está bombando loucamente, leiam essa entrevista batuta que o Palazo fez com o Rubem Alves! – e, obóvio, aqui no r.izze.nhas. Boa leitura!