Expiração, de Ted Chiang

Capa de Expiração, de Ted Chiang

Eu já falei várias vezes que é muito difícil falar dos livros que eu amo. Parece que nada do que será dito ou escrito fará jus ao que a leitura foi. É como se eu não conseguisse identificar com objetividade o que aquela história tem para me fazer gostar tanto dela. Por isso demorei tanto tempo para escrever essa resenha, não conseguia pensar no que dizer sobre Expiração, de Ted Chiang (Intrínseca, tradução de Braulio Tavares), além de: apenas leiam, é maravilhoso.

Ted Chiang é um dos meus atores favoritos dos últimos anos. Eu amei demais História da sua vida e outros contos, primeiro livro do autor publicado aqui, uma reunião de contos de ficção científica. Expiração tem a mesma proposta, a mesma intensidade, a mesma genialidade de Chiang. 

Os textos de Expiração falam de viagem no tempo, religião, pseudociência, livre-arbítrio, inteligência extraterrestre, inteligência terrestre, inteligência artificial. Todas essas coisas que dizem respeito ao futuro e à tecnologia e que podem transformar nossa relação com o mundo são tratadas pelo autor, brincando com as possibilidades que esse futuro pode trazer. Mas ele também se volta para o tradicional e o conservador, como nos textos em que ele mistura crenças religiosas com validação científica. Aquele velho exercício do “e se?”: e se tudo o que a Bíblia diz sobre a criação do mundo for real? Ou e se a ciência antiga que já foi refutada fosse ainda a norma? O mundo seria outro, nós seríamos outros. 

Dos meus textos favoritos de Expiração, um deles é o conto de abertura, “O mercador e o portal do alquimista”, uma história sobre viagem no tempo que simula o jeitinho Sherazade de contar histórias. Nele, um homem chega a um rei árabe para passar uma mensagem, mas para que ela faça sentido, precisa convencer o rei de que está falando a verdade. E assim conta outras histórias, envolvendo outras pessoas, até que a ligação entre elas e as viagens temporais que fizeram cheguem até o rei. Chiang leva a gente para um mundo antigo de histórias fantásticas, da arte oral de contar histórias, e ainda reflete sobre as implicações e o funcionamento dessas viagens no tempo. É bom demais. 

“[…] Durante todo aquele tempo eu pensava quanto as palavras de Basharat eram verdadeiras: o passado e o futuro são os mesmos, e não podemos mudar nenhum dos dois, apenas conhecê-los melhor. Minha viagem ao passado não tinha alterado coisa alguma, mas o que fiquei sabendo mudou tudo e compreendi que não poderia ter sido de outra maneira. Se nossas vidas são histórias que Alá conta, então somos ao mesmo tempo a plateia e os atores, e é vivendo essas histórias que aprendemos as lições.”

Outro conto que amei foi “O Grande Silêncio”, que envolve radiotelescópios, o Paradoxo de Fermi e papagaios. É uma história sobre a busca de vida inteligente fora da Terra, sobre nós, humanos, e nossas invenções para explorar o universo, esse lugar de grande silêncio, procurando algum tipo de comunicação. Porém, ignorando a própria casa, a possibilidade de vida inteligente além dos humanos aqui. E aí você descobre que quem está narrando é um papagaio, falando de como tentam se comunicar com os humanos e não conseguem, tentando enviar para nós uma última mensagem antes da sua extinção. Pensa numa história bonita e triste, só de lembrar dá vontade de chorar tudo de novo. 

Expiração é daqueles livros que você termina e pensa: caralho, que inteligente. Você se sente inteligente, e também privilegiado. Porque é bom, muito bom. Você fica feliz por ter topado com esse livro, com vontade de reler assim que termina. Sei lá, sou muito fanzoca do Ted Chiang. 

“[…] Minha mensagem para vocês é: finjam que têm livre-arbítrio. É essencial para vocês se comportarem como se suas decisões tivessem importância, mesmo sabendo que não têm. A realidade não importa: o que importa é a sua crença, porque acreditar nessa mentira é a única maneira de evitar o coma lúcido. A civilização depende agora da autoilusão. Talvez sempre tenha dependido.”


Ficou com vontade de ler? Compre aqui Expiração, de Ted Chiang. Comprando com o meu link você ajuda o blog com uma comissão. 🙂

Livros relacionados:
História da sua vida e outros contos, de Ted Chiang