Existem três livros que são referência quando se fala em obras de ficção científica do século XX. Publicados em décadas diferentes e por autores diferentes, os três juntos são considerados uma trilogia que mostra um futuro apocalíptico assustador a quem está acostumado às regras atuais (ou daquela época) que vigoram na sociedade. Mesmo datando de muitos anos atrás, quando a tecnologia era mais escassa e nem se ouvia falar em telefones celulares, esses três livros não deixam de conter um enredo atual. Tratam-se de Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, 1984, de George Orwell, e Laranja Mecânica, de Anthony Burgess.

Há um tempinho, lá no fórum Meia Palavra a Mi Muller (sorry, não acho a trema no teclado do note =B) abriu um tópico sobre Ex Libris. E eu, na minha curiosidade, entrei pra ver do que se tratava, porque  não fazia ideia do que era isso. Se alguém por acaso não sabe o que é também, aqui vai uma explicação arrancada do blog Bibliophile, da Mi:

Ex libris é uma expressão latina que significa literalmente dos livros empregada para determinar a propriedade de um livro. Portanto, ex libris é um complemento circunstancial de origem (ex + caso ablativo) que indica que tal livro é “propriedade de” ou “da biblioteca de”.

Certo, a tal novela das oito acabou, mas ainda é tempo de falar sobre ela. Isso porque a última trama de Glória Perez deixou uma nova marca nos brasileiros, que durante meses acompanharam Maya, Raj e Bahuan na mais nova ponte aérea novelística: Brasil-Índia. Assim, o “inshalá” de O Clone foi substituído pelo “are baba” de Caminho das Índias, e um pouco daquele grande país foi apresentado aos brasileiros que só ouviram falar da Índia na escola (e nem se lembram).

londres-o-romanceMuitas vezes, um romance histórico tem como tema algum conflito importante ou personalidades aclamadas pelos seus atos. São narrados acontecimentos que marcaram épocas, aqueles que mudaram os rumos da sociedade ou pelo menos de uma parcela dela. Porém, eu nunca vi um livro cujo tema central era uma cidade e o que aconteceu com ela no decorrer dos anos. Pois é disso que se trata o livro Londres, O Romance, do escritor Edward Rutherfurd, que narra os momentos marcantes da capital londrina por dois mil anos.

Bem, dessa vez não é uma resenha. Trata-se de um artigo que escrevi para o recém lançado Portal Bird. Fica aí a divulgação e o pedido para darem uma olhada em todos os artigos do portal, que vão além da literatura e abordam a arte em geral. Boa leitura!

o-apanhadorO Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger, é um livro que sempre causou polêmica. Ele conta a história de Holden Caufield, um adolescente de 16 anos que, ao voltar para casa com o adiantamento de suas férias na escola, muda seu rumo e vai para Nova York. O livro todo se centra nas reflexões de Holden sobre a sua vida, e representa um jovem confuso com o mundo e seus aspectos.

o fantasmaTem livros que, logo de início, percebemos que vão proporcionar boas horas de entretenimento. São aqueles que fluem, não cansam, instigam. O Fantasma, de Robert Harris, mostrou no primeiro parágrafo que é um desses livros.

A história é narrada por um ghost-writer, contratado para escrever um livro sobre Adam Lang, o fictício ex-primeiro ministro britânico. Na verdade, escrever sua auto-biografia. Isso mesmo, ghost-writers são autores que escrevem em nome de outras pessoas. Por isso são chamados de fantasmas. Para o azar do nosso narrador, justamente quando ele assume o trabalho do livro, estoura um escândalo envolvendo Adam Lang, acusado de crime de guerra. Isso faz com que ele se arrependa amargamente por ter aceitado esse trabalho.