Todo mundo adora falar de liberdades individuais — alô, liberais —, mas quando o assunto é a morte e a sua saúde, todo mundo gosta de se meter na sua liberdade individual de desejar, quiçá, querer morrer antes que uma doença o torne incapaz de viver sozinho. Eu penso nessa questão às vezes: ao descobrir uma doença, será que eu teria esperança de que um milagre pudesse acontecer? Acredito que não. Pessoalmente, acho a eutanásia a maneira mais elegante de deixar esse mundo quando seu corpo começa a falhar. Mas esse é aquele tipo de debate que ainda causa discussões fervorosas a favor da vida. O que você está enfrentando, de Sigrid Nunez (Editora Instante, tradução de Carla Fortino), é uma leitura que apresenta essa questão muito bem.