Ontem terminou mais uma edição desse evento que lota a Praça da Alfândega de Porto Alegre. Se bem que, nesse ano, obras na praça forçaram a 56ª Feira do Livro de Porto Alegre a se instalar nos seus arredores, com direito a uma passarela que cruzava a obra e mostrava suas estátuas enroladas em lona preta. Não era uma visão muito bonita, mas o que importava eram os livros, certo? Na Feira do Livro desse ano, prometi para mim mesma ir em pelo menos uma palestra, uma mesa. Não cumpri. O que me interessava acontecia em horários que não batiam com meu trabalho e aulas, e nos dois sábados que fui (o primeiro e o segundo), foram exclusivamente para passear.

Rá! Feliz Dia Nacional do Livro! Hoje a Biblioteca Nacional comemora 200 anos, e para comemorar a data temos nosso próprio Dia do Livro. Mais um motivo pra ler bastante. Mas não é só isso. Hoje começa em Porto Alegre a 56ª Feira do Livro, e também as votações para o Prêmio Fato Literário, que na internet já está rolando desde o começo da semana. E sabe qual é o melhor? O Gauchão de Literatura está concorrendo ao prêmio! Então fica aqui o pedido rápido e simples para votarem no Gauchão, organizado pela querida Lu Thomé e pelo Rodrigo Rosp.

Ruas de pedras dos tempos coloniais, que cansam os pés e provocam tropeços. Casas brancas com grandes janelas e portas de madeira, de batentes coloridos e telha de barro. Espera-se que o Centro Histórico de Paraty, no Rio de Janeiro, continue assim, antigo, por muito tempo. E também espera-se que em todos os anos a literatura e a arte voltem a ocupar as ruas de pedras e casarões brancos da cidade. Esse é o lar da Festa Literária Internacional de Paraty, ou a FLIP, o maior evento de literatura do país que traz grandes autores para discutir livros e histórias.

O romance policial de Tailor Diniz não fica apenas no mistério. Em poucas, mas boas páginas, o escritor gaúcho mistura humor e crítica em narrativas que encantam por retratar de forma tão natural o cotidiano do Rio Grande do Sul. Assim como em Um Terrorista no Pampa, o leitor que já vivenciou a vida calma do interior se identificou totalmente com a pequena cidade de Passo da Barca. Agora, porto-alegrenses e pessoas que passam os dias na capital gaúcha também vão se ver na literatura em Crime na Feira do Livro, recém lançado pela editora Dublinense.