Ruas de pedras dos tempos coloniais, que cansam os pés e provocam tropeços. Casas brancas com grandes janelas e portas de madeira, de batentes coloridos e telha de barro. Espera-se que o Centro Histórico de Paraty, no Rio de Janeiro, continue assim, antigo, por muito tempo. E também espera-se que em todos os anos a literatura e a arte voltem a ocupar as ruas de pedras e casarões brancos da cidade. Esse é o lar da Festa Literária Internacional de Paraty, ou a FLIP, o maior evento de literatura do país que traz grandes autores para discutir livros e histórias.

Falei que teria novidades, e ei-las. Tirei uma folga no trabalho, pois vou viajar. Daqui a algumas horas estarei no aeroporto aguardando pelo meu voo para o Rio de Janeiro. Fazer o que lá? Ir cobrir a sétima edição da Festa Literária Internacional de Paraty para o Ambrosia! A tão conhecida FLIP começa amanhã e vai até domingo. Entre os grandes nomes presentes nessa edição estão os autores Salman Rushdie, Isabel Allende e o quadrinista Robert Crumb.