Existem mais filmes sobre cachorros, mas no mundo animal, acho que dá para dizer que os gatos são quem dominam a literatura. Ou, pelo menos, que a literatura ajudou a formar a imagem que temos dos gatos. Reflexões do gato Murr, Eu sou um gato, até O mestre e Margarida, para deixar essa lista mais gorda, apresentam felinos que vão além da fofura aparente – muito pelo contrário. Arrogantes, superiores, críticos, desconfiados, orgulhosos, traiçoeiros: esses adjetivos fazem uma imagem não muito lisonjeira dos gatos, mas é disso que a gente gosta. Só que os gatos vão muito além disso, quem tem sabe muito bem disso.

Há um tempinho, lá no fórum Meia Palavra a Mi Muller (sorry, não acho a trema no teclado do note =B) abriu um tópico sobre Ex Libris. E eu, na minha curiosidade, entrei pra ver do que se tratava, porque  não fazia ideia do que era isso. Se alguém por acaso não sabe o que é também, aqui vai uma explicação arrancada do blog Bibliophile, da Mi:

Ex libris é uma expressão latina que significa literalmente dos livros empregada para determinar a propriedade de um livro. Portanto, ex libris é um complemento circunstancial de origem (ex + caso ablativo) que indica que tal livro é “propriedade de” ou “da biblioteca de”.