Quando a notícia de que Robert Crumb, o grande nome da contracultura, faria uma versão em quadrinhos do primeiro livro da Bíblia, todos ficaram surpresos. Os trabalhos que tornaram Crumb famoso passam bem longe da religiosidade, assim como ele mesmo, um ateu. Suas histórias são “marginais”, com muita droga e sexo, que nos anos 70 confrontaram os valores morais ocidentais. Então como o nome mais aclamado dessa cultura underground decidiu ilustrar justamente o primeiro livro da Bíblia? E mais: qual seria o resultado desse trabalho? Em 2009, todos ficaram sabendo. O resultado foi Gênesis, uma obra que leva a sério o livro que “fundou” a cultura ocidental, que ressalta cada passagem escrita, reescrita e editada tantas vezes através dos séculos.