Jovens escritores sempre pipocaram na literatura, mas não é fácil encontrar um que seja realmente bom. Christopher Paolini, que escreveu Eragon aos 15 anos de idade, deixou a desejar, e é assim com a maioria dos adolescentes que tiveram algum livro publicado. Acabam merecendo crédito apenas por terem escrito algo em plena juventude, e só. Mas com Nick McDonell foi diferente. Aos 17 anos, durante suas férias de verão, escreveu Doze, seu livro de estréia, publicado aqui pela Geração Editorial. O livro foi muito bem aceito pela crítica, que o considerou O Apanhador no Campo de Centeio da atualidade.

Estava pesquisando coisas interessantes aqui para o r.izze.nhas e me deparei com um texto muito bom sobre livros ironicamente proibidos de serem vendidos, a maioria nos EUA. O artigo é do site 11 Points, de Sam Greenspan, que se destina a fazer listas, tipo um Top 10, só que com 11 itens, óbvio. Não vou fazer uma tradução do texto, até porque meu inglês é bem ruinzinho, mas dar uma geral do  sobre os livros censurados da forma mais… irônica.

Bem, dessa vez não é uma resenha. Trata-se de um artigo que escrevi para o recém lançado Portal Bird. Fica aí a divulgação e o pedido para darem uma olhada em todos os artigos do portal, que vão além da literatura e abordam a arte em geral. Boa leitura!

o-apanhadorO Apanhador no Campo de Centeio, de J. D. Salinger, é um livro que sempre causou polêmica. Ele conta a história de Holden Caufield, um adolescente de 16 anos que, ao voltar para casa com o adiantamento de suas férias na escola, muda seu rumo e vai para Nova York. O livro todo se centra nas reflexões de Holden sobre a sua vida, e representa um jovem confuso com o mundo e seus aspectos.