Aos 15 anos e meio de idade Marguerite Duras teve sua iniciação sexual. Foi em um dia em que usava um vestido de seda quase transparente que fora de sua mãe, com um cinto de couro de um de seus irmãos, um chapéu de modelo masculino cor-de-rosa e um sapato de salto alto dourado. Cabelos trançados, maquiagem forte, batom vermelho. Vestida assim, em uma balsa que atravessava o rio Mekong, na antiga Indochina francesa (hoje o Vietnã), ela chamou a atenção de um rico homem chinês. E é com ele que Marguerite engatou um relacionamento que envolve sexo, dinheiro, e um amor que ele, o chinês, sente por ela, mas que ela não corresponde.