Os vários atos que definem a palavra “vergonha” estão presentes no livro que leva esse sentimento como nome. Desonra, humilhação, afronta, timidez, vexame. Tudo isso ligado a um jovem país, que poderia ser o Paquistão, mas não, é um lugar fictício, fruto de uma mente fantasiosa. A mente de Salman Rushdie, que publicou em 1983 o livroVergonha, o sentimento que faz as pessoas corarem e abaixarem a cabeça perante leis, crenças e comportamentos rechaçados pela cultura ocidental. Em nova edição lançada ano passado pela Companhia das Letras, o romance que mistura política à fantasia esmiúça a vergonha de seus personagens, mostrando que dela surge uma fúria impossível de ser controlada.