Foram três anos publicando contos de autores brasileiros de ficção científica. Seis revistas reunindo esses contos ao mesmo tempo em que homenageava autores e obras do gênero. Solaris, Neuromancer, Stalker, Fundação, 2001 e agora Fahrenheit, o último “filho” do Projeto Portal. Organizado pelo escritor Nelson de Oliveira e distribuído entre leitores, críticos e acadêmicos, as revistas do Projeto me surpreenderam pela qualidade dos textos e imaginação dos autores. Infelizmente não li todos, apenas a partir do Fundação, mas desde o início apreciei os textos dessas pessoas das quais nunca ouvi falar antes. E com Portal Fahrenheit – a homenagem a Ray Bradbury, que infelizmente ainda não li – não foi diferente.

Estava pesquisando coisas interessantes aqui para o r.izze.nhas e me deparei com um texto muito bom sobre livros ironicamente proibidos de serem vendidos, a maioria nos EUA. O artigo é do site 11 Points, de Sam Greenspan, que se destina a fazer listas, tipo um Top 10, só que com 11 itens, óbvio. Não vou fazer uma tradução do texto, até porque meu inglês é bem ruinzinho, mas dar uma geral do  sobre os livros censurados da forma mais… irônica.