Logo se percebe que há uma relação de amor e ódio entre Rodrigo de Souza Leão (1965-2009) e a escrita em Me roubaram uns dias contados. Publicado postumamente, o livro surgiu por intermédio do jornalista e poeta Ramon Mello, que organizou as novelas do autor e as transformou em romance. Essa foi a última obra de Rodrigo, falecido há dois anos em uma clínica psiquiátrica, e nela se vê as dores e perturbações de um autor sem a pretensão de ser lido, que se mistura às personagens e faz dele mesmo o principal foco da narrativa.