Eu já falei várias vezes que é muito difícil falar dos livros que eu amo. Parece que nada do que será dito ou escrito fará jus ao que a leitura foi. É como se eu não conseguisse identificar com objetividade o que aquela história tem para me fazer gostar tanto dela. Por isso demorei tanto tempo para escrever essa resenha, não conseguia pensar no que dizer sobre Expiração, de Ted Chiang (Intrínseca, tradução de Braulio Tavares), além de: apenas leiam, é maravilhoso.