No final dos anos 1980 a Iugoslávia se dissolveu. Marcada por diferenças étnicas, políticas e religiosas, os países que então compunham e ex-Iugoslávia foram sentindo a crise da queda do regime comunista na Guerra Fria, principalmente a Sérvia e a Croácia, marcadas agora pelo nacionalismo, e foram conquistando sua independência. Mas essa crise posteriormente seria sentida também na Bósnia-Herzegovina, que entre 1992 e 1995 entrou em guerra justamente por conta da conquista de sua independência. Essa guerra entre sérvios e muçulmanos, com reviravoltas e partidos e grupo militares trocando de lado diversas vezes, causou verdadeira destruição no país e promoveu uma limpeza étnica por parte dos sérvios, muito semelhante à que ocorreu na Segunda Guerra Mundial.

Os impactos dessa guerra são narrados por Joe Sacco em Uma História de Sarajevo, publicado pela editora Conrad. Jornalista maltês especializado em coberturas de áreas de conflito, ele inicia o livro a partir de um relato feito em 2001, uma visita de volta à capital da Bósnia. Dessa visita, o jornalista/quadrinista resgata lembranças do tempo em que passou no país cobrindo a guerra nos anos 1990, da situação em que a cidade se encontrava e as mazelas de seus habitantes, arrancados de suas casas e jogados na rua para sobreviver. Diferente do que fez em Palestina: uma nação ocupada, em Uma História de Sarajevo Sacco não explica esse complicado conflito, suas motivações, causas e visões. Aqui, o seu relato jornalístico em quadrinhos é concentrado nas palavras e lembranças de apenas uma personagem: Neven.